"The New Art Fest’16” com arranque marcado no MUHNAC

Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa (MUHNAC-ULisboa) é o local escolhido para o arranque do novo festival internacional de new media, post internet e internet of things, onde artistas portugueses e estrangeiros terão oportunidade de apresentar os seus trabalhos tendo como ponto de partida a ciência e tecnologia.

Às 19H00 do dia 3 de novembro terá inicio “The New Art Fest’16” no MUHNAC-ULisboa, onde até 10 de novembro se encontrarão duas seções do Festival: o Bending que consiste numa exposição de projetos artísticos materiais e o Continuum que se traduz num alinhamento de conteúdos audiovisuais da autoria de 26 artistas.

O MUHNAC acolhe ainda no dia 4 de novembro o “Seminário Internacional de Arte e Investigação” (ver programa no website “The New Art Fest’16”).

Sofia Marçal, museóloga no MUHNAC-ULisboa explica que «a essência do “The New Art Fest” revê-se num museu de ciência se pensarmos a programação do festival como potencial difusor de artistas do mundo virtual, tecnológico e  digital».

«No MUHNAC há muito que a arte faz parte da sua programação, onde se promove a dissolução das  fronteiras que ainda possam existir entre a Arte e a Ciência. Misturar arte com as nossas coleções cientificas, criar circuitos paralelos, pensar as novas questões que convergem para a inclusão, para a procura de outras metodologias,  de outras relações e reações sem se perder a individualidade criativa própria de cada domínio é sem dúvida um prossuposto da contemporaneidade e do nosso museu», afirma a especialista.

Mas “The New Art Fest’16”, com a curadoria de António Cerveiro Pinto e organização da Ocupart – Arte em Espaços Improváveis, vai muito para além do espaço do MUHNAC-ULisboa. Ao longo de oito dias, cerca de 40 artistas terão oportunidade de apresentar instalações interativas, projeções audiovisuais, exposições de realidade aumentada e arte generativa, como o glitch e o live coding, num roteiro que se estende entre a zona do Chiado, centro do eixo cultural que vai do Largo do Rato ao Cais do Sodré, com presença em montras de lojas da Chiado, no MUHNAC e no Time Out Market (Mercado da Ribeira).