Relógios de Sol

Para celebrar o Ano Europeu do Património Cultural no mês de maio apresentamos magníficos objetos científicos que surgiram ainda antes da Ciência existir - o relógio de sol.

(2) Um relógio horizontal, datado de 1774 e desenhado para a latitude de Lisboa, por André Berthet, relojoeiro em Lisboa. É provável que Berthet tivesse alguma ligação à Real Fábrica de Relojoaria, fundada em Lisboa em 1765 pelo Marquês de Pombal na zona das Amoreiras/Rato e a primeira do seu género em Portugal.

No momento em que celebramos o Ano Europeu do Património Cultural, importa promover e valorizar o património português que tantas vezes passa despercebido. Dedicamos, por isso, o mês de maio a um dos mais magníficos objetos científicos que surgiram ainda antes da Ciência existir. Há pelo menos 3 000 a.C, na Mesopotâmia, e possivelmente noutros locais do Mundo, num cruzamento harmonioso entre a astronomia e a matemática, surgia o instrumento mais antigo para ver as horas: o relógio de Sol.
 
Composto por um ponteiro - o gnómon - e uma base graduada - o mostrador -, o relógio de Sol indica as horas através do movimento da sombra do gnómon, sobre o qual incidem os raios solares e que se projeta sobre o mostrador. Existindo um pouco por todo o lado, desde conventos e igrejas, quintas e jardins, casas e palácios aos espaços públicos, os relógios de Sol terão chegado ao território português aquando da conquista romana. Habitualmente são de grande porte e integrados em fachadas ou muros, existindo também modelos portáteis. Os principais tipos de relógios de Sol são os relógios horizontais e verticais, consoante o mostrador é horizontal ou vertical.
 
Estes instrumentos foram evoluindo ao longo do tempo para objetos cada vez mais sofisticados sendo, na sua maioria, autênticas obras de arte. Em exibição, pode observar dois tipos de Relógios de Sol:
 
Um relógio universal (1), T.H. de Lange, séc. XX. Trata-se de um modelo desmontável, com bússola, adaptável a ambos os hemisférios e à latitude do local onde se pretende fazer a leitura das horas solares. A bússola permite a orientação do gnómon segundo a direção norte-sul, ficando o plano das marcações paralelo ao plano do equador.
 
Um relógio horizontal (2), datado de 1774 e desenhado para a latitude de Lisboa, por André Berthet, relojoeiro em Lisboa. É provável que Berthet tivesse alguma ligação à Real Fábrica de Relojoaria, fundada em Lisboa em 1765 pelo Marquês de Pombal na zona das Amoreiras/Rato e a primeira do seu género em Portugal.