Templo

Do artista Renato Japi

Quando: 
1 de Agosto de 2019 a 1 de Setembro de 2019
Onde: 

Museu Nacional de História Natural e da Ciência, sala A068

brincando / construindo / criando
 
O Laboratório de Química Analítica no Museu Nacional de História Natural e da Ciência é o primeiro sítio onde vão ser apresentadas as peças que fazem parte da exposição Templo do artista plástico Renato Japi que irão sendo instaladas noutros lugares.
 
Estas pequenas esculturas de cunho arquitectónico, miniaturas construídas em vidro e latão transportam-nos para a nossa infância, para os nossos jogos de construção. "a miniatura é um exercício de frescor metafísico; permite mundificar com pequenos riscos. E que descanso em tal exercício de mundo dominado! A miniatura descansa sem nunca adormecer. A imaginação permanece vigilante e feliz". (Gaston Bachelard in: Poética do Espaço)
 
Ao se possibilitar a relação da obra com o espaço fortalecesse o diálogo entre a matéria, a forma e o lugar. Nesta exposição a construção dos objetos é o resultado da criatividade introspetiva do Renato Japi com a fragilidade e a delicadeza dos materiais, contrapondo-se ao diálogo permanente com o espetador.  “Uma obra de arte exige trabalho e esforço do público, não pode ser apenas mais um sedutor espectáculo para preguiçosos. Ela não deve menosprezar o espectador, tem de o ajudar a defender a sua dignidade nesta era de massificação, banalização, frivolidade, superficialidade, efemeridade mediática, consumismo desenfreado e sensacionalismo que espelham a vacuidade dos desígnios desta civilização do espectáculo que nos habituámos a aceitar com passiva indiferença.” (Rui Chafes in: Entre o Céu e a Terra)
 
Na arte contemporânea há uma experiência que é única, que é a de cada um.  Como se pode subjetivamente sentir as obras aqui apresentadas? Podemos utilizar o conceito de Rosalind Krauss da escultura no campo expandido onde a dimensão lúdica presente é fundamental e a partir das incertezas, das sobreposições de possibilidades a exposição aproxima-se de nós e nós dela.
 
A exposição Templo do artista brasileiro Renato Japi remete-nos para a arquitetura, para o refúgio onde as linhas de tensão aqui desenhadas criam a atmosfera precisa. 
 
Sofia Marçal, julho 2019
 
 
Sobre Renato Japi | Nascido em 1979 no Rio de Janeiro, Brasil, Renato Japi é artista residente em Lisboa desde 2013. Mestre em Arte e Ciência do Vidro pela Universidade Nova de Lisboa e doutorando em Belas Artes pela Universidade de Lisboa, tem desenvolvido um corpo de trabalho experimental cujo vidro é material recorrente. Cada vez mais, se interessa por instalações multimedia, fotografia, filme e paisagens sonoras. Com exposições em diversas cidades da Europa, como Milão, Veneza, Zermatt e Praga, o artista busca uma íntima relação entre os espaços expositivos e os espaços imaginários que cria, privilegiando atmosferas e envolvimentos múltiplos.
 
 
Exposição de Arte e Ciência