Dia Internacional dos Centros e Museus de Ciência

MUHNAC tem ao longo do ano desenvolvido uma série de atividades junto de público que ajudam a sensibilizar a população sobre alguns dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Comemora-se hoje, 10 de novembro, o Dia Mundial da Ciência ao serviço da Paz e do Desenvolvimento da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Com a finalidade de incentivar os museus e centros de ciência em todo o mundo a desenvolver atividades de divulgação sobre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), a UNESCO juntamente com o International Council of Museums (ICOM), centros de ciência e museus de ciência em todo o mundo escolheram exatamente este dia, 10 de novembro, para organizar pela primeira vez o Dia Internacional de Centros de Ciência e Museus de Ciência.

Por todo o mundo, durante o dia de hoje, museus e centros de ciência terão atividades dirigidas aos mais diversos públicos por forma a dar a conhecer os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que compõe uma Agenda Global de transformação do mundo até 2030, resolução adotada a 21 de outubro de 2015 pela Assembleia Geral das ONU.

Os 17 objetivos que compõem a Agenda Global de Desenvolvimento Sustentável são – 1: Combater a pobreza; 2: Combater a fome; 3: Garantir saúde e bem-estar para todos; 4: Garantir a qualidade de educação para todos; 5: Promover a igualdade de género; 6: Garantir a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento; 7: Garantir energia limpa e acessível; 8: Garantir o emprego decente e crescimento económico; 9: Promover a indústria inclusiva, a inovação e infraestruturas resilientes; 10: Reduzir as desigualdades; 11: Tornar as cidades e comunidades sustentáveis: 12: Fomentar a produção e consumo responsável; 13: Contribuir para a ação climática; 14: Conservar e usar de forma sustentável os oceanos; 15: Usar de forma sustentável os ecossistemas terrestres; 16: Promover a paz, justiça e instituições eficazes; 17: Estabelecer parcerias para alcançar estes objetivos.

No âmbito do Dia Internacional dos Centros de Ciência e Museus de Ciência, o Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa (MUHNAC-ULisboa) vai juntar às dezenas de atividades de divulgação e educação científica que desenvolve diariamente, uma campanha de sensibilização e divulgação dos Objetivos usando as redes sociais.

Mas para além das atividades desenvolvidas neste dia, interessa fazer um balanço das atividades levadas a cabo pelo MUHNAC ao longo do ano e que têm atingido centenas de crianças, jovens e adultos e que transmitem uma série de conhecimentos e conceitos sobre alguns destes importantes Objetivos, nomeadamente, aqueles que se prendem com o Objetivo 4: Qualidade da Educação. Dados de 2015 revelam que ao todo, através das suas atividades educativas, o MUHNAC-ULisboa chegou a 30 437 alunos que visitaram o Museu através das suas escolas. Mas não foi só o público escolar o envolvido, ao todo o Museu e Jardim Botânico de Lisboa levaram as suas atividades a cerca de 157 000 pessoas no mesmo ano.

No que se refere aos objetivos relacionados com a energia sustentável, qualidade da água, conservação da biodiversidade e fogos florestais, o Museu tem desenvolvido, por exemplo, uma atividade que consiste numa simulação de uma Assembleia fictícia convocada pela Associação de Municípios, também ela fictícia. O objetivo é que jovens do ensino secundário debatam os assuntos em questão e sugiram algumas soluções para a resolução destes problemas.

Já em 2016, o MUHNAC-UL esteve envolvido nas atividades de divulgação do Ano Internacional das Leguminosas, da ONU, com uma série de iniciativas entre as quais um Festival dedicado às leguminosas, onde o público pode ficar a conhecer os benefícios nutricionais, ambientais, agrícolas e económicos do aumento do consumo de leguminosas.

Também o Dia Mundial do Ambiente, 5 de junho, foi comemorado no MUHNAC com especial dedicação ao usufruto do espaço urbano. Na Conferência “Os novos Hortelãos” falou-se sobre a agricultura urbana, desde hortas a canteiros domésticos, o usufruto dos espaços verdes em cidade e a importância destas atividades para a preservação da Biodiversidade. Neste dia, foram vários os jovens que plantaram no Jardim Botânico de Lisboa um Relógio Floral de Lineu.

Mas tendo o MUHNAC na sua missão inscrito que deve «promover a curiosidade e a compreensão pública sobre a natureza e a ciência, aproximando a Universidade à Sociedade», mas também que «essa missão é atingida através da valorização das suas coleções e do património universitário, da investigação, da realização de exposições, conferências e outras ações de carácter científico, educativo, cultural e de lazer», não se pode deixar de destacar o papel fundamental que desempenha ao nível da investigação e conservação da biodiversidade através das suas coleções.

Por exemplo, o Banco de Sementes A.L. Belo Correia é atualmente o maior e mais antigo banco de sementes de espécies autóctones em Portugal continental. À data de março de 2015, este Banco conservava 3700 amostras de sementes, pertencentes a 1130 espécies. Nesta coleção está já representado mais de 1/3 da flora e 57% das espécies protegidas do continente português. Destacam-se ainda cerca de 220 espécies da região submersa pela barragem de Alqueva e 250 espécies de plantas do Jardim Botânico.

Também a Coleção de Peixes representa uma referência para o estudo da biodiversidade nacional, com cerca de 9.000 lotes compreendendo mais de 75.000 espécimes. Outro exemplo de referência é a Coleção de Mamíferos com 6.000 exemplares que representam todas as sete ordens e 23 das 25 famílias de mamíferos terrestres e marinhos que ocorrem em Portugal.

Estas são apenas algumas das atividades de investigação, conservação, educativas e de divulgação científica que o MUHNAC vai desenvolvendo ao longo de todo o ano e que per si estão intrinsecamente relacionadas com a maioria dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.