Royal_Cine no MUHNAC

Out
22
Out/22 21:00 - Out/23 23:30
Claustro | Museu Nacional de História Natural e da Ciência

#4 Antropocénico/Ecocrítica, no Claustro do MUHNAC

Quando: 
Sexta, 22 Outubro, 2021 - 21:00 a Sábado, 23 Outubro, 2021 - 23:30
Onde: 
Claustro | Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Em outubro, às sextas e sábados, o Jardim Botânico de Lisboa, o Jardim Botânico Tropical e o Claustro do MUHNAC vão receber sessões de cinema! Uma iniciativa do projeto Royal_Cine que tem como objetivo sensibilizar e educar para o cimena. O programa é temático, dialogando com estes lugares, a sua história e os filmes exibidos. Algumas das sessões contarão com a presença dos realizadores e convidados, proporcionando uma breve conversa e diálogo com o público.

22 de outubro
Fordlandia Malaise
de Susana de Sousa Dias
Sinopse: Filme sobre o presente e a memória de Fordlândia, uma company town fundada por Henry Ford na floresta amazónica em 1928, para escapar ao monopólio britânico da borracha. Hoje, o que permanece das construções atesta a escala do fracasso deste empreendimento neo-colonialista que durou menos de uma década. Atualmente, a Fordlândia é um espaço suspenso; suspenso entre tempos (séculos XX e XXI), entre utopia e distopia, entre visibilidade e invisibilidade: construções arquitetónicas de aço, vidro e alvenaria ainda permanecem em uso enquanto vestígios da vida autóctone não deixaram qualquer marca no solo. Embora Fordlândia seja conhecida devido ao curto período Fordiano, não se pode esquecer a história anterior e posterior a estes anos. Dando voz aos habitantes que, rejeitando o rótulo de cidade-fantasma, reclamam o direito de escrever a sua própria história, Fordlandia Malaise combina imagens de arquivo, filmagens de drone, testemunhos, contos e narrativas, mitos e canções. Estará presente a realizadora e a historiadora da tecnologia Maria Paula Diogo.
POR | 2019 | 41' | DOC


Apiyemiyekî
de Ana Vaz
Sinopse:
Apiyemiyekî? é um retrato cinematográfico que parte do arquivo de Egydio Schwade, educador brasileiro e militante pelos direitos dos povos indígenas – Casa da Cultura de Urubuí, localizado na sua casa em Presidente Figueiredo (Amazonas), onde atualmente são conservados mais de 3.000 desenhos feitos pelos Waimiri-Atroari, um povo nativo da Amazónia brasileira, durante a sua primeira experiência de alfabetização. Com base na pedagogia crítica do educador e filósofo brasileiro Paulo Freire, os desenhos tornaram-se num dos primeiros métodos de troca e produção recíproca de conhecimento. Durante os exercícios de alfabetização, a questão levantada com maior frequência pelos Waimiri-Atroari foi: por que razão Kamña (“o civilizado”) matou Kiña (Waimiri-Atraori)? Apiyemiyekî? (Porquê?).
Brasil/ França/ Portugal/ Holanda | 2019 | 28' | DOC

 

23 de outubro
Nausicaä do Vale do Vento
de Hayao Miyazaki
Sinopse: Num futuro longínquo, após uma guerra apocalíptica ter devastado o ecossistema terrestre, os poucos humanos sobreviventes vivem dispersos, em oásis ecológicos no meio de um mundo que se transformou numa “selva tóxica”. Nausicaä vive no árido Vale dos Ventos e é capaz de comunicar com os os insetos gigantes que vivem na perigosa selva. Sob a orientação de um guerreiro veterano, Lord Yupa, Nausicaä embarca numa jornada para trazer paz ao planeta devastado. Esta sessão segue-se de uma conversa com Ana Matilde Sousa, artista visual e autora de artigos sobre arte contemporânea japonesa e cultura pop; e Nuno Marques, investigador e poeta na área da ecopoesia nas humanidades ambientais.
Japão | 1984 | 117' | FIC

 

Horário: 21h (entrada começa às 20h)

Entrada livre, com reserva obrigatória
www.royalcine.pt

Consulte o programa completo aqui.

Evento realizado de acordo com as normas vigentes da DGS relativas à realização de eventos ao ar-livre.

 

Sobre o projeto:
O projeto Royal_Cine é um projeto de sensibilização e educação para o cinema. Iniciou a sua atividade em 2019, através do programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa. Ao longo de dois anos, desenvolveu um percurso para a educação cinematográfica, com atividades de abordagem à literacia fílmica e oficinas de realização em escolas do ensino básico e secundário da Junta de Freguesia de São Vicente. Para além das atividades em contexto escolar, promovemos um cineclube comunitário local, com projeções em diferentes espaços desta área da cidade, acompanhados por debates dinamizados por convidados, entre os quais alguns realizadores, atrizes e moradores locais. A nossa equipa multidisciplinar, de distintas áreas como o cinema, a antropologia, a história da ciência e as artes gráficas, decidiu abraçar um novo desafio, interligando interesses pessoais e questionamentos, e prosseguir os objetivos de criar circuitos gratuitos de exibição cinematográfica.