Novas Exposições


PRIMAVERAS ESTUDANTIS. DA CRISE DE 1962 AO 25 DE ABRIL 

Exposição sobre a história e memória dos movimentos estudantis que se sucederam em Portugal entre a crise académica de 1962 e a revolução de 25 de abril de 1974. Esta iniciativa, comissariada pelo historiador Álvaro Garrido, da Universidade de Coimbra, marca o início do programa de comemorações dos 50 anos do 25 de abril de 1974. Tem, por isso, um sentido cívico e uma intenção didática no sentido de transmitir às atuais gerações de estudantes e jovens o significado dos movimentos estudantis e o seu contributo para a rutura política e social que ocorreu em 1974. 

O discurso da Exposição centra-se num timeline que percorre os principais acontecimentos das crises académicas, detendo-se em 1962 e 1969. O movimento de massas de 1962 ocupa natural destaque, uma vez que a 24 de março de 2022 se cumprem sessenta anos do Dia do Estudante, que marcou o início dos acontecimentos e porque, exatamente nessa data, serão mais os dias que vivemos em democracia do que aqueles que Portugal viveu em ditadura.

A Exposição destaca o papel de líderes estudantis como Jorge Sampaio e salienta os temas fundamentais das lutas dos estudantes: a questão colonial e a luta pelas liberdades; as formas de comunicação clandestina e a repressão governamental; o papel das mulheres e a evolução da cultura juvenil. 

Esta exposição também se dirige aos ativistas das lutas estudantis e procura contribuir para a memória social desses protagonistas, cuja coragem e resistência foram decisivas para abrir caminho à democracia. 

Coordenação: Pedro Adão e Silva

Datas: março-agosto
Local: sala Welwitsch 

 

MUSEALIZAÇÃO DO MS-9

O MUHNAC integrou nas coleções um antigo espectrómetro de massa, vindo da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), o primeiro a funcionar em território nacional e utilizado em trabalhos de ensino e investigação.

A espectrometria de massa (MS – Mass Spectrometry) é uma técnica analítica, que permite determinar a composição elementar de moléculas e proceder à sua identificação em misturas complexas.

Atualmente a MS tem diversas aplicações em inúmeras áreas, como por ex., testar a qualidade do ar e da água, determinar contaminação de amostras, proceder à análise do ar em missões espaciais e determinar a composição de atmosferas planetárias, proceder à datação do carbono, fazer análise de meteoritos, caracterizar proteínas, etc.

Esta técnica é atualmente também muito referida em séries televisivas que retratam a investigação forense, devido à capacidade que esta técnica tem em caracterizar misturas complexas e identificar moléculas em quantidades vestigiais.

Datas: março
Local: Museu
 

PROGRAMA ARTE, NATUREZA E CIÊNCIA